18 julho 2010

O que tu me tornara


Sabes, isto não anda a correr nada bem. Ainda falta muita coisa completar-se e encaixar-se para que tudo fique um pouco melhor. Foi naquele teu último olhar que eu tive a certeza que, se me faltasses, iria ser complicado. E foi através daquele teu último conselho que descobri como a vida dos crescidos é bem difícil. Obrigaste-me a crescer mais rápido, a tomar decisões muito importantes, a fazer escolhas, a pensar mais vezes antes de agir e a ser mais responsável. Agora, que tenho este problema tão enorme, precisava do teu colo, das tuas mãos, das tuas contas, dos teus e-mails e dos teus telefonemas. Precisava que não me tivesses deixado, que não me tivesses obrigado a crescer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário