05 setembro 2010

Dor

Henrique González Martínez



O seu olhar varou-me a alma absmada,
fundiu-se em mim, tão minha parecia,
Que não sei se este alento de agonia
É vida ainda, ou morte alucinada.

Chegou o arcanjo, desferiu a espada
Sobre o duplo laurel que florescia
No horto concluso... E desde aquele dia
Voltei, dentro das trevas, ao meu nada.

Julguei o mundo, para o humano assombro,
Ia rolar de súbito no escombro
Da ruína total do firmamento...

Mas vi a terra em paz, em paz a altura,
O campo sereno, a linfa pura,
O monte azul e sossegado o vento!...

2 comentários:

  1. Estou te seguindo, me siga também. Aproveite e deixe um comentário... :P

    Samuel.

    www.filosofandoonline.com.br

    ResponderExcluir
  2. Bela foto.... O mar, me traz saudades e lembranças que foram rápidas como uma onda, porém muito boas.

    ResponderExcluir