25 abril 2011

Enquanto eu digo adeus


Hoje eu queria escrever um conto com final feliz...

O irônico é que enquanto eu te escrevo ela está aí com você, enrolada em seus braços, sentido o seu lábio...
É isso, eu cansei, estou completamente exausta desse seu joguinho ridículo, você acha que eu sou o que? Um brinquedo? O seu brinquedo? Desculpa te desapontar amor é que eu não sou um brinquedo, sou de carne e osso, aliás, querido eu também devia ter um coração, mas esse você quebrou, partiu, esmagou, estraçalhou...

A culpa é minha, completamente minha, sou culpada por viver neste meu mundo imaginário, por interpretar tudo da maneira errada e por acreditar nas suas palavras mesmo te conhecendo, aliás, a culpa é minha por as vezes achar que eu e você somos nós, por que não, somos diferentes, somos dois, somos apenas eu e você.

Você vai, volta, vai, volta...Você fica e sai, se diverte e parte, se cansa e volta...E eu aqui sempre te esperando de braços e portas abertas com o coração na mão pra te entregá-lo mais uma vez. Autodestruição, eu sei.
Só que dessa vez vai ser diferente, não vou me entregar, não quero mais isso, eu preciso me desintoxicar, preciso me limpar de você.
Estou um pouco magoada, um pouco acabada, mas vai passar, tenho fé que vai ficar tudo bem e quando eu estiver melhor vou poder erguer a cabeça e passar reto por você.
Talvez um dia eu lembre dessa historia minha e sua e sorria, sorria por saber que eu pude fazer um amor virar real...lembrei agora da frase de um amigo meu “Poucas pessoas realmente amam, e quando amam é no máximo uma e se for muito sortudo duas pessoas.” Eu amei, amei de verdade, amei durante cinco anos e ainda amo, acho que sempre vou amar, é como esse mesmo amigo meu disse “O amor é eterno mesmo quando acaba” e você vai ser sempre importante pra mim, por tudo! Você está marcado em mim de um jeito que nenhum outro jamais vai estar...
Mas agora chega de fantasias, de mentiras, de nós... Preciso aprender a dizer não por mim, preciso aprender a dizer não quando meu peito implora por um sim.
Que você seja feliz com ela, elas, que dê tudo certo na sua vida e que você um dia olhe para trás e perceba o mal que você me fez e o bem também, afinal, a nossa historia no fundo até que é, foi bonita... Mesmo com idas e vindas, com altos e baixos, tivemos momentos bons, muitos momentos bons e este estão guardados aqui dentro do peito, agora trancados, quando estiver tudo bem eu volto a abri-los.
Obrigada, por ter me feito aprender a me amar, obrigada por ter me ensinado a te amar, obrigada e adeus.

Hoje eu queria escrever um conto com final feliz, hoje eu não fiz um conto, mas o nosso final foi escrito, e sabe o que eu descobri? Descobri que nenhum final é realmente feliz.

Texto por: Gabriela Freitas Dias do blog Nova Perspectiva

7 comentários:

  1. Já havia lido este texto antes.
    Adorei vê-lo aqui :)

    Beijo flor.

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei vê-lo aqui, rs. Você sabe que sou fã do teu espaço né? E fiquei super feliz de saber que você gostou e se identificou com algo que eu esqcrevi.
    Mais uma vez Gabi, obrigada por ter me avisado sobre a garota lá viu? *-*

    ResponderExcluir
  3. Veja aqui o resultado e pegue seu selo.
    http://historiasdepamela.blogspot.com/2011/04/resultado.html

    ResponderExcluir
  4. “O amor é eterno mesmo quando acaba” - muito verdade.. gostei do texto.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o blog ! super lindo e os posts sao perfeitos ! estou seguindo aqui , segue de volta ? http://fashionscream.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. selo pra você lá no meu blog, *-*

    http://sabrinaapenasumaaprendiz.blogspot.com/2011/04/quarto-selo-do-blog.html

    ResponderExcluir