08 janeiro 2018

Foi como em um sonho.

Ele bateu as 16:40 na minha porta, havia aparado o cabelo e a barba, vestia-se de preto e jeans básico. Suas botas estavam com um pouco de terra molhada, pois acabara de chover na cidade, estava a pé e sem guarda-chuva, o molhado da chuva se misturava com o suor. Estava cansado, correu até minha casa durante exatos 10 minutos, o que é suficiente pra chegar até lá. Desci do carro e fui de encontro a ele com o coração quase saindo pela boca. Em menos de 2 metros de distância, eu finalmente acordei. 
No dia seguinte ele estava lá de novo, dessa vez não tinha chuva, era verão ensolarado. Estava com cabelo e barba aparados e as mesmas botas de combate. Não tive tempo de reparar no que estava vestindo pois corri ao seu encontro. O abracei. Sussurrei em seu ouvido que havia sentido que aquilo iria acontecer. "Eu sonhei que você vinha" eu dizia. "Eu sabia, eu sabia que ia cortar o cabelo e a barba". Riamos e nos abraçávamos. 
Foi tão real. Mas eu também acordei. E todos os dias se repete, como uma tremenda tortura, eu chego e você está lá me esperando, eu abro os olhos e não está.
É apenas um sonho. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário